top of page
  • Foto do escritorMarcelo Nogueira

Terapia visual, conheça os maravilhosos resultados que essa técnica optométrica pode apresentar


Terapia visual é um tratamento altamente eficaz para muitos problemas visuais comuns como a ambliopia (também conhecida como olho preguiçoso), estrabismo, visão dupla, problemas de foco, insuficiência de convergência e algumas dificuldades de leitura e aprendizagem.

Quando se fala em visão, é muito comum as pessoas lembrarem apenas na acuidade visual, que é quando o olho consegue enxergar ou não as letras na tabela de Snellen, mas vale lembrar que existem muitos outros problemas visuais que podem inclusive acontecer mesmo que o paciente tenha excelente acuidade visual, ou seja, em um exame de vista tradicional ele pode enxergar todas as letras, apresentar acuidade visual de 100%, não precisar de óculos e mesmo assim ter problemas de visão.

O optometrista sendo o especialista em visão é o profissional mais indicado, que em sua avaliação pode encontrar essas alterações visuais, que podem ser de origem cognitiva, perceptual ou motora e apresentar as melhores opções de tratamento.

Importante lembrar que os olhos são captadores de imagem mas quem realmente enxerga é o cérebro, que é onde todas as imagens são recebidas, filtradas, interpretadas, armazenadas e geram os mais variados efeitos motores.


A terapia visual busca através de exercícios ajudar o cérebro a controlar e ampliar habilidades visuais que não podem ser corrigidos com óculos, como alinhamento ocular, convergência, movimentos oculares, habilidade de focar nas mais variadas distâncias, visão binocular e processamento das informações visuais.

É indicada para pessoas de todas as idades, que apresentam alteração em alguma das habilidades visuais, tais como dificuldade na coordenação binocular, memória visual, problemas de coordenação olho-mão, dificuldade na convergência em visão próxima, estrabismo e ambliopia.

A terapia visual pode corrigir:

Estrabismo Em diversos casos de estrabismo a terapia visual é a melhor opção de tratamento pois não existe um defeito muscular mas sim falta de habilidade para que os dois olhos trabalhem em conjunto. Existem casos onde a cirurgia é necessária e a terapia visual pode também auxiliar para melhorar os resultados antes e após a cirurgia.

Ambliopia ou olho preguiçoso Diminuição da acuidade visual que se apresenta mesmo utilizando óculos ou lentes de contato. Não é um problema no olho mas sim no processo de desenvolvimento visual desse olho, onde algum fator como por exemplo estrabismo ou algum defeito refrativo (miopia, hipermetropia, astigmatismo) não corrigido causou a diminuição da acuidade visual desse olho.

Forias São leves desalinhamentos nos olhos, onde através de esforços oculares e visuais os olhos conseguem se manter alinhados, porem esse esforço geralmente causa cansaço ocular, visão dupla em determinados momentos, dificuldade de concentração.

Movimento Ocular Os distúrbios do movimentos oculares atrapalham principalmente em leituras e durante o processo de aprendizagem, pois tornam difíceis, por vezes quase impossível controlar os olhos de maneira correta e eficiente.

Distúrbio de Foco

Para manter a visão eficiente a pessoa tem de conseguir focar, tornar nítido, objetos em todas as distâncias de maneira fácil e rápida sem muito esforço.

Além de ser eficiente na melhora de habilidades visuais, mesmo quando não apresentem problemas, visando melhorar o rendimento, como é o caso da Optometria Desportiva, onde através de terapia visual é possível otimizar algumas habilidades para um esporte especifico. Muitos atletas olímpicos e profissionais passaram por programas de treinamento visual para esportes a fim de melhorar seu desempenho.

terapia visual pode incluir exercícios, lentes, prismas, filtros e atividades visuais assistidas por computador. Outros dispositivos, como pranchas de equilíbrio, metrônomos e instrumentos visuais não computadorizados também podem desempenhar um papel importante em um programa de terapia visual personalizado.

Estudos mostram que o cérebro humano possui uma quantidade significativa de neuroplasticidade, a capacidade de alterar sua estrutura e função em resposta a estímulos externos. Essas alterações neurológicas no cérebro, que antigamente pensava-se que ocorriam apenas durante a primeira infância, também foram demonstradas em adultos.

Descobertas recentes sobre neuroplasticidade parecem confirmar o que muitos especialistas em terapia visual vêm dizendo há anos: programas de terapia visual planejados e administrados adequadamente podem causar alterações neurológicas que podem corrigir problemas de visão e melhorar o desempenho visual.


Marcelo Nogueira é optometrista em Optocentro Saúde e Reabilitação Visual em Itapetininga-SP

Especialista em Ortóptica e Ciências da Visão, possui muita experiência na área e já alcançou ótimos resultados com a aplicação de Terapia Visual em seus pacientes.

Agende já a sua consulta


121 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page